Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Nelson Magalhães Filho. ANJOS BALDIOS 2009, acrílica s/tela, 100X80 cm

hoje a lua vaga puta exacerbada
sangrando seiva amarela
como um triste anjo-girassol

perdido do amor insano dos anjos.
hoje beijo teu rosto uma rosa negra
beijo tua boca uma rosa negra revestida
pelas marés incertas de lágrimas ensandecidas
deixando marcas de um amor sem cura
o mesmo beijo encarniçando

aquela aflição sem limites
a tristeza cruenta dos anjos.

Nelson Magalhães Filho
disco, livro e filme para este fim de semana





The Heartless Bastards - The Mountain

terça-feira, fevereiro 17, 2009

canção dos cães de luz

Nelson Magalhães Filho. ANJOS BALDIOS 2009, acrílico s/tela, 100X80 cm


Naquela tábua horizontalmente assentada
onde indivíduos maus incriminam-se ao partir do dia,
e tantas aspersões com gotas marejadas das lamúrias
em cada lugar ermo desta cidade indecorosa...
Num só instante daqueles olhos iluminados
pela lua arroxeada e estrelas vermelhas: fomos
todos nascidos do mesmo pai e da mesma mãe
entrelaçados pelas pontas dos cabelos
bruxuleados por um breve laço de amor: sim,
poesia para deliciar nossas almas de lírios selvagens
ó fragmento orgíaco da purificação, a brutalidade
irada dos viajantes sombrios
embriagou-me naquela mesa
sob estrelas vermelhas queimadas em minha mente.
Não foi necessário prolongar meus pés nus: ainda
não era o tempo das tormentas
pois a ansiedade dos lírios selvagens não são para sempre
e nosso amor será rasgado pelo veneno
e pelos cometas ó divina inspiração: êxtase
supremo da libertação a que nada
falta das forças de nosso inferno!
Os amigos não precisam ser lamparinas
para nos conduzir até o jardim.
E quando a madrugada foi violentada por minha euforia
acendi o sol negro, derrubei rezas mortíferas,
penetrei as mãos no fundo do coração
e arranquei por fim a beleza trágica
de beijar a inquietude de meu demônio.

Nelson Magalhães Filho, em As Luminárias, 1982
VVIINP - Projeto blog para artistas baianos que trafegam pelas possibilidades do vídeo, seja como linguagem ou como forma de registro de performances e intervenções urbanas e não urbanas.
Visite e participe:
http://vviinp.blogspot.com/

http://vitorborges07.blogspot.com/

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

ALICE



ALICE
Enviado por anjobaldio

Companhia dos Anjos Baldios
apresenta
ALICE, um vídeo de Nelson Magalhães Filho
Numa noite avermelhada por estranhas paixões, um homem cínico, amoral e transtornado liga para ALICE de um telefone público, dizendo que está sendo perseguido por pessoas bizarras, enquanto ele se dirige para o mar.
Com Pablo Sales.
Edição: Valdique Medina e NMF.
Música: Zé de Rocha e Zinaldo Velame.
Produção: Luciano Fraga
Baseado no conto de Pablo Sales. Duração: 12: 22
2006

CLIQUE AQUI:
http://www.dailymotion.com/anjobaldio/video/x8aq2z_alice_shortfilms

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

disco, livro e filme para este fim de semana




terça-feira, fevereiro 03, 2009

FIAPOS DE CHUVA, Samantha Abreu