Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

quarta-feira, dezembro 09, 2015

Cineclube Mário Gusmão e a produção Azul lançam na próxima quinta-feira, 10/12, A Morte do Cinema, dirigido por Evandro de Freitas.A sessão especial será no Cine Theatro cachoeirano, às 19 horas, com a presença do diretor e do elenco.

Sinopse:
Quando levantou a casa, o sonho viveu lá. Depois morreu e tudo mudou: ficou a ruína. Dizem que ruína é coisa alguma, mas não é verdade. Ruína é a casa do abandono.

No elenco estão Adilson Nascimento, Edith Conceição, Raimundo Cerqueira, Roque Araújo e Samir Suzart.

A Morte do Cinema, filme de Evandro de Freitas, é uma realização da produtora Azul e conta com o apoio do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura do Estado.

Não perca!


quarta-feira, dezembro 02, 2015

segunda-feira, novembro 09, 2015


De 10 a 14 de novembro, o Cineclube Mário Gusmão realiza a Mostra Transáfrica, reunindo filmes de diretores africanos e brasileiros propondo um diálogo sobre a África. As exibições, acompanhadas de debates, vão ocorrer sempre a partir das 19 horas, no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras (Cahl/UFRB).

A Mostra Transáfrica terá 5 sessões, com 5 longas e 1 curta-metragem. Os diálogos sobre África se darão através de dois pontos de vista: dos diretores africanos, com três filmes que discutem o lugar da fala em sociedades africanas; dos diretores brasileiros, que reinventam o continente africano aqui no Brasil.

Confira a programação por dia:

Terça-feira (10/11): “Ceddo”, de Ousmane Sembène. 
Debate com Prof. Túlio Muniz (UNILAB);

Quarta-feira (11/11): “Keita”, de Dani Kouyaté. 
Debate com Profa. Ângela Figueiredo (UFRB) e Profa. Cristiane Souza (UNILAB);

Quinta-feira (12/11): “Bamako”, de Abderrahmane Sissako. 
Debate com Prof. Kabengele Munanga (visitante UFRB) e Profa. Amaranta Cesar (UFRB);

Sexta-feira (13/11): “Alma no Olho”, de Zózimo Bulbul e “Leão de 7 Cabeças”, de Glauber Rocha. 
Debate com Prof. Jacques Depelchin (visitante CEAO/UFBA) e Profa. Cyntia Nogueira (UFRB);

Sábado (14/11): “Terra deu, terra come”, de Rodrigo Siqueira.
Debate com Makota Valdina Pinto, educadora e líder religiosa, e Elen Linth, cineasta;


Cineclube Mário Gusmão, para realizar a Mostra Transáfrica, conta com o apoio do Centro de Artes, Humanidades e Letras – CAHL/UFRB, do Mestrado Profissional em História da África, da Diáspora e dos Povos Indígenas/UFRB, da Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e do Institut Français . Além do apoio financeiro do Governo da Bahia, através do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA).


Contamos com sua presença!

quarta-feira, outubro 28, 2015

Através de uma parceria com o Cineclube Mário Gusmão e o Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB, o XI Panorama Internacional Coisa de Cinema será realizado, pelo quarto ano consecutivo, simultaneamente em Salvador e Cachoeira.
A programação em Cachoeira acontece de 29.10 a 03.11 (quinta a terça), no Auditório do CAHL e no Cine Theatro Cachoeirano, envolvendo sessões especiais, competitivas nacional e baiana, debates com os realizadores e programação musical, além de oficina, conferência e do Seminário 100 anos de Walter da Silveira. 
Para saber mais informações sobre a programação: http://coisadecinema.com.br/xi_panorama/cachoeira

sábado, setembro 26, 2015


SOBRE A PEÇA
A peça apresenta um casal em crise permanente e discute a dificuldade da fidelidade e da confiança. Em um jogo de medos, mentiras, armadilhas e declarações de amor eterno e de uma suposta liberdade, o casal acaba arrastando para o esgoto, suas almas, e junto destruindo toda sua humanidade.

Cia Atores do Sol apresenta

SOMOS TODOS LÁZAROS
DIREÇÃO - R.B.Santana
Dramaturgia - Cia Atores do Sol

De 13 de Outubro à 26 de Novembro 20 hs
Na Casa Preta
( Bairro Dois de Julho )

terça-feira, agosto 25, 2015


ainda resta acender um cigarro, comer uma cereja
afogueada. é foda
esse palor noturno e belo, e voragem
é o esquecimento que desconsola quando chove
e desta antiga janela
enxergo lá embaixo meus pensamentos ultrapassarem
as ruas encharcadas de receio.
desesperadamente sonho com tuas mãos
ocas e sinuosamente teus seios envoltos
em flores selvagens despedaça minha agonia.
não há mais amor na noite que estronda
sem ninguém lá fora que me acene um adeus
ou um rinoceronte vadio que ronda
meu azedume de cerveja quente
e vinho barato:
pedras incrustadas nas gretas das portas,
um amor sombrio que dos seus beijos felinos
vem os jasmins: desejo é sempre
cálido remorso.

Nelson Magalhães Filho

quinta-feira, maio 07, 2015



O Cine Virada é o festival interno de cinema da UFRB organizado pelo PET Cinema, pensando a visibilidade e reflexão sobre a produção do curso de Cinema e Audiovisual. A terceira edição será no dia 13 de maio no auditório do CAHL contando com as categorias de ficção, documentário e experimental.

terça-feira, maio 05, 2015

quarta-feira, abril 08, 2015


Fernando Coni Campos, em 1983, fez como magia que se multiplicassem os alimentos da feira cachoeirana.
O mágico Dom Velasquez e sua partner Paloma, ao se depararem com a escassez de alimentos que aquela população enfrentava, decidiram usar de seu ilusionismo para proporcionar alguns minutos de lúdica alegria àquele povo. Infelizmente, a magia não perdurou; a população frustrada se revoltara, e o delegado, que antes já havia imposto uma pré-censura ao show de Dom Velasquez para acontecer no Cinetheatro (sim, o de Cachoeira), o pusera atrás das grades.
Fernando Coni Campos é diretor baiano. O Mágico e o Delegado, seu último longa metragem, teve suas cenas gravadas nas ruas de Cachoeira em plena década de oitenta e também em Castro Alves, sua cidade natal. E é aqui, do recôncavo, que nós do Cineclube Mário Gusmão, convidamos você para a exibição do filme que encerra a mostra Fernando Coni Campos.
Quarta feira, 08/04, às 19hrs no auditório do CAHL. Entrada gratuita.

segunda-feira, março 23, 2015


Próxima quarta (25), o Cineclube Mário Gusmão exibe o filme Ladrões de Cinema, do cineasta baiano Fernando Coni Campos.
O longa lançado em 1977, trata-se de uma experiência metalinguística, expondo o cinema como uma atividade marginal, o cinema apresentando sobre fazer cinema. O diretor consegue expor à sua maneira e de forma cômica, um expressivo retrato de se fazer cinema no Brasil na época de sua realização.

sábado, março 07, 2015


Fernando Coni Campos procurava produzir um cinema de poesia e empatia, o que afastava suas obras do Cinema Novo. O diferencial do cineasta baiano é justamente abordar a fabulação, o sonho, construir uma dramática popular brasileira. Um cinema que na sua época vivia uma luta contra a censura policial, comercial e ideológica, na qual o cineasta prontamente delatou.

É com muito orgulho que o Cineclube dá início aos trabalhos com a Mostra Coni Campos, exibindo o filme “Viagem ao Fim do Mundo”. O longa se passa durante uma viagem de avião, onde cada personagem aparenta viver em seu próprio universo. Passageiros lêem jornais e revistas enquanto um rapaz lê Machado de Assis, detendo-se no capítulo “O delírio”, do livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”.

AUDITÓRIO DO CAHL | 11/03 | 19H
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB

quarta-feira, fevereiro 25, 2015

terça-feira, janeiro 20, 2015