Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, dezembro 31, 2010

o e-mail do Efraim

Hoje fiquei muito feliz ao receber um e-mail de um dos meus escritores preferidos, o Efraim Medina Reyes:

Te deseo hoy y siempre lo mejor. Que pases un buen fin de año junto a
quienes aman. Un abrazo inmenso,

Efraim


PD: de regalo un poema


SIN DEJAR HUELLA
 
El destino del amor
es desvanecerse
en el contacto
el amor es el
elemento
esencial de
la fuga
Las piedras
permanecen
y el amor
huye
las piedras
se enfrían
y el amor
es un animal
de sangre
caliente
Se ama
la posibilidad
del delirio
el roce
secreto
de unos labios
y la silenciosa
promesa
de un final
Se ama
por la certeza
inminente
de la muerte
Las piedras
son inmortales
y el amor
un dulce
asesino
No quiero
ser tu dueño
nena
sólo
darte una
noche
más densa
e inolvidable
que mil vidas
no soy la
piedra de
ninguna tumba
mis manos
son ligeras
hechas
para ajustarse
a tus formas
mi alma
no sabe mentir
y mis pies
responden
siempre
al llamado
del guagancó
No soy piedra
nena
soy el
amor
que convierte
la tierra
en un cielo
de ardientes
tambores
no quiero el
mundo
nena
me basta
bailar
contigo
al ritmo
de un salvaje
blues
No pertenezco
más que a mis
deseos y mis
ansias
soy el brujo
nena
el demonio
que baila
canta
y se va
sin decir
adiós.

--
Efraim Medina Reyes (Cartagena 1967). Autor, entre otros libros, de
Érase una vez el amor pero tuve que matarlo y Técnicas de masturbación
entre Batman y Robin. Su página en facebook es:
http://www.facebook.com/pages/Efraim-Medina-Pagina-Oficial/115903968452946

quinta-feira, dezembro 30, 2010

disco, livro e filme para esse fim de semana

ANA C. LIMA

Sem título. Aquarela e guache sobre papel, 29.7 × 42.0 cm

VEJA MAIS AQUI:
http://www.flickr.com/photos/carolinalimac
http://vivalavulva.wordpress.com/

Viva la Vulva (VvV) é um blog coletivo para catalogação e apresentação de trabalhos de mulheres artistas, juntamente com a disponibilização e tradução de textos sobre arte e gênero e temas relacionados. Compreendemos como mulher uma pessoa que se identifica desta forma, não precisando esta ser necessariamente fêmea ou se compreender como mulher durante todo o tempo.
Optamos por esse recorte específico, o das mulheres artistas, porque, mesmo reconhecendo que existem outros grupos silenciados pela história, nos identificamos com este e acreditamos que o mesmo seja amplo o suficiente para englobar tantas outras categorias silenciadas tais quais: mulheres negras, pobres, transexuais, lésbicas, de países não hegemônicos, etc. As fontes -  livros, dissertações, internet -  nas quais podemos pesquisar já estão dadas, e, por isso, as artistas serão em sua maioria de grupos privilegiados historicamente. No caso de produções mais recentes a quantidade de informações e a acessibilidade às mesmas são bem maior, o que torna possível uma equalização dos grupos aos quais as mulheres pertencem.
O blog tem a intenção de disponibilizar material para utilização pedagógica em ambientes formais e informais. Além, é claro, de dar visibilidade ao trabalho de mulheres artistas de áreas diversificadas.
Somos estudantes e contamos com colaboradores das áreas de Artes Visuais e Jornalismo. Acreditamos que este blog é do interesse de pessoas envolvidas em lutas anti-sexistas; educadoras e pessoas em geral.

terça-feira, dezembro 28, 2010



EFRAIM MEDINA REYES
Veja mais
http://www.youtube.com/watch?v=Y03Inw1OKZA
http://www.youtube.com/watch?v=3ju7UDvqpa8

quinta-feira, dezembro 23, 2010

livro, disco e filme para esse fim de semana

Os Famosos e os Duendes da Morte

quinta-feira, dezembro 16, 2010



DOOLS ANGELS
Um vídeo de Nelson Magalhães Filho
Música: Bartira Sena
Duração: 5 min
Neste vídeoarte são questionadas as sutis relações entre a infância e a perversidade. O artista produz uma série de imagens  apresentando um boneco sendo maltratado por um suposto afogamento, com a intenção de provocar um sofrimento ou um sorriso irônico no espectador. O boneco, que é um objeto de afeto e recordações, está submergido numa antiga lavanderia de quintal, simbolizando um oceano misterioso ou até mesmo um útero materno desconhecido. Seus olhos são estranhos, bolhas, pétalas diáfanas e arroxeadas cobrem parte de seu rosto.
O artista então faz uma reflexão sobre a violência, criando assim a sua poética do perverso-devaneio, sugerindo uma provocação ao recolocar um símbolo da infância num contexto marginal.

Cruz das Almas - BA - 2010

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Vídeoarte DOLLS ANGELS recebe Menção Especial na X Bienal do Recôncavo

http://www.allexleilla.blogspot.com/

sexta-feira, novembro 12, 2010

Blind Willie Johnson - Dark Was The Night

 

Jane Birkin & Serge Gainsbourg - La Décadanse 

 

PJ Harvey - Who The Fuck?

 

disco, livro e filme para este fim de semana


Foto: Karla Rúbia

esse coração-carniça aceso de presa
na madrugada provisória
porque hoje a noite é triste farejando
nossos ossos efêmeros.
beijo-sujo de desalento
lua de seda em cima de mim
no tempo em que amanhecer não era cinza
engastam os céus em má-hora: um anjo
sobrevoando a cidade apodrecida pelos ratos,
então enjoo com o fim do dia
pelas atrocidades da manhã.

Nelson Magalhães Filho

quarta-feira, outubro 06, 2010



Companhia dos Anjos Baldios apresenta:


SAMAEL
Com Cláudio Fontoura e Jamar Oliveira
Música: Bartira Sena
Edição: Nelson Magalhães Filho, Karla Rúbia e Taygoara Aguiar

Samael se desespera após receber uma carta, e no auge do seu delírio febril, trava uma batalha agonizante com seres imaginários.

Vídeo produzido na disciplina Produção e Análise da Imagem, orientado pelo professor Taygoara Aguiar, na Escola de Belas Artes da UFBA.
Duração: 7 min
NTSC 4:3
Dolby (r) Digital 2
Captura: full HD

Um vídeo de
Karla Rúbia
Nelson Magalhães Filho
Messias Conceição
Salvador – BA -2010
http://www.luiscapucho.blogspot.com/
http://www.myspace.com/luiscapucho

sexta-feira, agosto 06, 2010




La rue assourdissante autour de moi hurlait.
Longue, mince, en grand deuil, douleur majestueuse,
Une femme passa, d'une main fastueuse
Soulevant, balançant le feston et l'ourlet ;

Agile et noble, avec sa jambe de statue.
Moi, je buvais, crispé comme un extravagant,
Dans son oeil, ciel livide où germe l’ouragan
La douceur qui fascine et le plaisir qui tue.

Un éclair… puis la nuit ! — Fugitive beauté
Dont le regard m'a fait soudainement renaître,
Ne te verrai-je plus que dans l'éternité ?

Ailleurs, bien loin d'ici ! trop tard ! jamais peut-être !
Car j'ignore où tu fuis, tu ne sais où je vais,
Ô toi que j’eusse aimée, ô toi qui le savais !

quarta-feira, agosto 04, 2010

sexta-feira, julho 30, 2010


ASSALTO FOTOGRÁFICO (projeto de expansão da linguagem fotográfica através da devolução (projeção) das imagens produzidas por diferentes olhares aos locais de onde foram capturadas. - participaram desse primeiro assalto os fotografos -artistas; Alex Leite, Ana Paula Pessoa, Clara Domingas, Marcela da Costa e Rachel Mascarenhas.) Interessados (a) em participar de outros assaltos entrem em contato!

APAREÇAM HOJE NA ESTAÇÃO DA CALÇADA - 18HRS!!!

sábado, julho 24, 2010

livro de poemas cachorro rabugento é lançado em Feira de Santana

Prefácio: Lima Trindade
Ilustrações: Devarnier Hembadoom
Coordenação editorial: Roberval Pereyr
Editoração e impressão: Edson Machado
Coleção Aldebarã - 6
Museu de Arte Contemporânea Raimundo Oliveira
Feira de Santana - Ba - 2010

quinta-feira, julho 22, 2010


ANIVERSÁRIO DA CASA DA CULTURA GALENO D'AVELÍRIO

Ainda no dia 27 (19h) acontece a abertura da exposição As Mulheres e a Fumicultura, mostra da fotógrafa Solange Noya Reinhardt.
Haverá também uma mesa redonda com Isabel Fraga (ex-sindicalista), Celizia Mendara (Engª Agrª da DANCO) e Rosana Vieira (Presidente do Coletivo de Mulheres em Luta Jacinta Passos).


Dia 28 (quarta-feira)
20h – Apresentação dos jovens das oficinas do projeto Viver com Arte

20h30 – Apresentação das sambadeiras do Samba de Roda Suerdieck

21h – Show Operárias da Arte, com Alana Sena, Cássia Maria, Geysa Coelho, Meyre Khal, Ravah Assis, Sandra Sena e Ura.

A mostra de fotografias As Mulheres e a Fumicultura, ficará aberta para visitação de 28 de julho a 27 de agosto, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 18h30

quarta-feira, julho 21, 2010

Jacinta Passos
(1914-1973)

Jacinta Passos, Coração Militante

Lançamento na próxima terça-feira, dia 27 de julho, às 20:30 hs

Casa da Cultura Galeno d'Avelírio

Cruz das Almas - Ba

A obra traz a produção da poeta, jornalista e militante, organizada pela historiadora Janaína Amado, filha de Jacinta.
Nascida em Cruz das Almas, criada na Fazenda Campo Limpo, Jacinta Passos deixou um legado fabuloso que o público terá oportunidade de conhecer integralmente por meio dessa publicação.

EROTOMANIA

Exposição de Artes Visuais de Priscila Pimentel

Desprovida de uma narrativa linear comum aos desenhos de Histórias em Quadrinhos, este projeto apresenta cenas trabalhadas quadro a quadro e trás o “elemento perturbador” que atiça a memória e constrói a fantasia.

Artista Priscila Pimentel

Local Galeria Jayme Fygura (Teatro Gamboa Nova)

Rua Gamboa de Cima, 3 – Largo dos Aflitos. Salvador-BA.

www.teatrogamboanova.com.br

(71) 3329-2418

Visitação de 4 de agosto a 3 de outubro de 2010

Horário de quarta a domingo a partir das 16h.

Classificação 14 anos.

Contatos da artista:

priscila pimentel

artista plástica

(71) 8861-6685 / 9161-7016

http://www.priscilapimentel.blogspot.com

terça-feira, julho 20, 2010


LANÇAMENTO do livro de poemas
CACHORRO RABUGENTO MORTO EM NOITE CHUVOSA
Prefácio: Lima Trindade
Ilustrações: Devarnier Hembadoon
Local: MAC -Museu de Arte Contemporânea - Feira de Santana - Ba
Dia 22 de julho (quinta-feira)
2o h

Antonin Artaud - Sur le suicide

segunda-feira, julho 19, 2010

Nelson Magalhães Filho. ANJOS BALDIOS 2009, acrílica s/tela, 140X200 cm

Nelson Magalhães Filho: o Blake de Cruz das Almas

Poemas selvagens: sem títulos, bulas ou domesticações. Como se, de repente, fossem as barbas do velho Whitman. Selvagens. Poemas que ecoam em outras (h)eras, outros vincos. Desdobram-se desordenados. Ou ordenam-se em camadas feito listras de felinos. E se você dormir, pimba! Eis que lhe tomam num trago. Então, desarme-se. O universo de Nelson é sem estrelas. Uma lua paira e ilumina os corpos sombrios, lânguidos e bêbados de quem satisfez o desejo. Fosse nos anos 80 e, bem ao estilo Caio F., um de seus autores prediletos, apelidariam-no dark. Ou, quem sabe, black(e). Não pelo lado escuro da Força, esclareça-se. Mais sinuosamente, eu diria. Nas sombras, escondem-se segredos, fachos de luz. O poeta tinge a palavra com sua visão/percepção de mundo. E tanto revela quanto nubla nosso olhar. É que traça linhas vindas do subconsciente. Ele, generoso, permite que a emoção suba e, tal qual um anjo, vagueie em seu voo torto, indeciso entre o céu e o inferno. Nelson é pintor, blogueiro (anjobaldio.blogspot.com) e poeta. Vem de Cruz das Almas para estabelecer sua mitologia romântica em versos brancos. É, de certo modo, nosso Blake baiano. E, se o bardo inglês fez de seu tigre a imagem de um Cristo revolto, a representação aqui será outra (“os tigres chegaram / os cascos descendo pelo peito”). Tigre, cachorro, cavalo e anjo são figuras poéticas que se metamorfoseiam constantemente para exprimir uma rebeldia nada redentora. Buscam, tal como na literatura de seu par, o instinto primário. Mas não acreditam na inocência. São céticos e conferem à Arte, por meio das inúmeras citações e intertextualidade, seu uivo de protesto. As referências são múltiplas. Sobretudo cinema, literatura, música e artes plásticas. Porém, atente, não quaisquer referências. Nelson gosta das mais baldias. Rebeldes, você me corrige. Então, junte-se Jim Jarmush com Morrisson, Radiohead com Blake, Wim Wenders com Jorge de Lima, Tom Waits com Dylan Thomas, Francis Bacon com Lou Reed, Piva com Basquiat, Nick Cave com Fassbinder... E perceba que nada é gratuito. Nem mesmo o amor. Em seu discurso de cachorro rabugento morto em noite chuvosa. Por que é isso que Nelson mais canta: o Amor. Ao redor, poucos lenitivos (“só o amor é mais amargo que seus olhos”). O perfume e o sexo embriagam. O cão não late mais, porém, seguindo a lição do mestre Leonard Cohen, permanece “deixando marcas de um amor sem cura”. O manto frio e negro nos encobre (“evoco as veias silentes / nesta noite em que encontro a morte”). O cachorro não dança (“sou de uma raça de cachorro ruim”). Está morto, mas cobra, aos notívagos, lágrimas doces. Um poema. Uma prece. Pois todos sabemos que mais dia menos dia os tigres chegarão. E não terá volta.


Lima Trindade

Mestre em Literatura pela UFBA, escritor e editor da Verbo21

http://www.verbo21.com.br/v3/