Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sábado, janeiro 09, 2010

JEREMIAS, PROFETA DA CHUVA
Núcleo de Teatro do Teatro Castro Alves – Bahia
DOMINGO NO TCA – R$ 1,00 – DIA 10/01/2010, às 11h

Através da via-crucis de Jeremias, um homem simples temporariamente afastado do seu dom e do seu Deus, o espetáculo leva ao palco um sertão tântrico – real, imaginário e mítico – trazendo este profeta que, ao sofrer pela seca, interpreta os sinais da natureza para predizer se haverá bom ou mau inverno no pequeno lugarejo onde vive. Jeremias, Profeta Chuva é a 14ª montagem do Núcleo de Teatro do Teatro Castro Alves. Com texto e direção de Adelice Souza, a peça reúne personagens que transitam com sua poesia e dor em torno da falta de chuva num sertão eterno que mora dentro e fora das gentes.
A boa nova é que teremos no elenco, a grande atriz Hebe Alves interpretando a Véa Dica e Paruara. E nosso diretor musical, Jelber Oliveira, interpretando o sanfoneiro Santiago. Não percam!
E divulguem em suas listas, sítios e blogs...

Texto e direção: Adelice Souza
Elenco: Amarílio Sales, André Tavares, Bira Freitas, Cláudia Di Moura, Fernanda Paquelet, Fernando Santana, Hebe Alves, Jelber Oliveira, Marcos Machado, Mônica Gedione, Ricardo Fagundes e Simone Brault.
Assistência de Direção: Amanda Maia e Maicon Alisson
Direção Musical: Jelber Oliveira
Iluminação: Irma Vidal
Cenografia: Miniusina
Figurino: Carol Diniz
Objetos Sagrados/ figuras de sombras: Olga Gomez
Língua: português
Duração: 1:35h


O Núcleo de Teatro do Teatro Castro Alves tem no seu repertório obras de encenadores como Gabriel Vilella, José Possi Neto, Francisco Medeiros, entre outros. O Núcleo sofreu reformulações através das quais, em parceria com o Centro Técnico do TCA, passou a investir também na qualificação profissional dos artistas envolvidos em suas montagens, através de oficinas. O espetáculo Jeremias, Profeta da Chuva, resultado desse novo formato, foi selecionado via edital.

Nenhum comentário: