Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

domingo, abril 27, 2008

shane macgowan & nick cave - what a wonderful world

Juliana Moraes


Juliana Moraes é artista plástica formada pela Escola de Belas Artes da UFBA. Ela ilustra a Décima Nona Leva da revista eletrônica Diversos Afins.

CLICA AQUI: http://www.diversos-afins.blogspot.com/

VEJA MAIS:
http://www.fotolog.com/caixafechada/43927054

ARDE!

Estréia 2 de maio às 20 h

Ficha técnica:
concepção + direção + dramaturgia: Thiago Romero
elenco: Gabriela Sanddyego + Gustavo Nery + Jandiara Barreto + Marcus Sou'Sant + Pedro Albuquerque + Roberta Nascimento + Thor Vaz
atores convidados: Aline Bernardi + Diogo Baleeiro
bailarino convidado: Roberto Basílio
concepção de luz: Thiago Romero
preparação vocal: André Augusto
instalação cênica+figurino : Tina Melo
direção de vídeo + vídeo cenário: Edson Bastos
paisagem sonora: ZERO
fotos: Rafael Martins

quinta-feira, abril 24, 2008

SOBRE AMOR E BLUES

foto de Ellen von Unwerth
O amor não é assim tão simples. Falávamos de bisturis e de como você consegue arrancar tudo aqui de dentro, me deixando assim, oca. Só porque perguntei como alguém oco pode amar... essa pergunta idiota. Amando, porra. Até bonecas infláveis amam e, melhor, não reclamam de nada, nem do movimento da música, do ritmo descompassado e dos pisões nos pés. Essas coisas das quais eu me enchia pra descarregar em você. Meu vazio me deixava mais segura, e ainda deixa.Acho melhor que você ame as infláveis. Antes elas dos que as instáveis. Palavrão que você adora, esse. Não entende nada de mulheres. Nem elas mesmas e vão todas às putas que as pariu. E te pariu. Arrebentou minha sandália, me deu torcicolo e ainda acha ruim quando eu reclamo da sua falta de aptidão pra dança. Te pago as aulas, desde que você leve a boneca. Nada de cintura quente roçando nas mãos, a professora é viúva e nada alegre. Estou na tua cola, não pise em falso, não pise em meus pés, aliás, recomendo que, comigo, você pise em ovos. Não, não nas nuvens. Quem falava em blues? Eu falo da vida, falo do amor e dessas coisas que você desconhece. Música não é tudo, e o amor não tem nada de fácil. O amor é só descompasso. O amor enlouquece marca passo, o médico não recomenda. Peça ao doutor pra te emprestar um bisturi mais moderno, aí, quem sabe, você, ao invés de arrancar tudo e deixar o oco, arranca o oco e me deixa tudo. Me deixe tudo e leve a boneca, os pés, bisturis, mate as aulas de dança e jogue fora as sandálias. Não esqueça o torcicolo. É teu, te concedo, amor.
.
.
.
.
Samantha Abreu
Postado no blog:
VEJA MAIS:
Meu amigo, ator e DJ Tarcísio Santana (Buenas), aqui com a diva Madeleine Peyroux em Salvador, está com um blog novíssimo.
CLICA AQUI:
http://buenasrocks.blogspot.com/

quarta-feira, abril 23, 2008

Zé de Rocha. Modelo e Atriz.
1999, acrilic on canvas (100 X 120 cm)

falarei da ferocidade dos desejos violentos
das últimas horas, desmaiadas
que traziam fragâncias estranjas
do mar da pituba,
lembranças de teus olhos despovoados
verdes mentiras de teus lábios
embebidos de sutil encanto.
não há nuvens no céu
apenas a lua pálida cheia de silêncios,
mastiga a lua pessoas insanas
uivando para nada,
pois desperdiçei flores demais
em seus lábios de mentiras.
a música de nick cave tocando no micro system
o quarto com cortina de lagartos
rasgam o tempo das irascíveis cobiças.
a chuva brandamente voltava
e fico estonteado de chuva
que range na vidraça vermelha
amor à primeira tempestade incide
sobre minha pele queimada de sol
respinga desprezo pela comoção
destes amores subterrâneos.

Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, abril 07, 2008

Egon Schiele

ainda resta acender um cigarro, comer uma cereja
afogueada. é foda
esse palor noturno e belo, e voragem
é o esquecimento que desconsola quando chove
e desta antiga janela
enxergo lá embaixo meus pensamentos ultrapassarem
as ruas encharcadas de receio.
desesperadamente sonho com tuas mãos
ocas e sinuosamente teus seios envoltos
em flores selvagens despedaça minha agonia.
não há mais amor na noite que estronda
sem ninguém lá fora que me acene um adeus
ou um rinoceronte vadio que ronda
meu azedume de cerveja quente
e vinho barato:
pedras incrustadas nas gretas das portas,
um amor sombrio que dos seus beijos felinos
vem os jasmins: desejo é sempre
cálido remorso.

Nelson Magalhães Filho

sábado, abril 05, 2008

Emmanuelle Béart
Pego o ônibus das 6:10h para o campo grande
o mar estúpido abrindo rasgões nas avenidas
gatos pálidos caídos nas flores-bruxas
de jardins alheios.
Mais tarde o sol descia vagarosamente
sobre a boca do rio
como o luar enfurecido agonia a noite
num fulgor nocivo.

Nelson Magalhães Filho
disco, livro e filme para esse fim de semana




MIE PRECKLER
Galeria Acbeu
5 a 19 de abril

quinta-feira, abril 03, 2008

Ice Bird Spiral

Antonino

O homem do planeta vermelho. 2004, 120 x 90 cm, acrílica sobre tela. Coleção particular
VEJA MAIS:
http://www.antonino.com.br/


POEMAS DIGITAIS
O MuBE - Museu Brasileiro da Escultura convida para a palestra Poemas Digitais, de Floriano Martins, acompanhada de projeção de imagens de sua obra plástica. A mesa será composta por Jacob Klintowitz (crítico de arte e diretor do MuBE) e Sérgio Lucena (artista plástico).

A palestra se realizará no dia 08 de abril de 2008 (terça-feira), às 19h30, Av. Europa 218 - Jd. Europa - São Paulo SP Brasil.
Contato MuBE: Fernando Lopes
fernando.lopes76@hotmail.


PRÊMIO ABCA
A Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA convida para a entrega do Prêmio Antônio Bento concedido à Agulha – Revista de Cultura, por sua atuação e divulgação das artes no ano de 2007. Editores da Agulha (Floriano Martins e Claudio Willer) estarão presentes. A cerimônia de entrega de todos os prêmios ABCA será no dia 10 de abril de 2008 (quinta-feira), às 20h00, no SESC Paulista. Av. Paulista 119 - São Paulo SP Brasil.
Contato ABCA: Elvira Vernaschi
evernaschi@hotmail.com

MÚSICA & POESIA
Vila Teodoro e Projeto Dulcinéia Catadora convidam para noite de lançamento do CD Brincos do Mar e o Infinito (Mário Montaut e Floriano Martins) e do livro Duas mentiras (Floriano Martins). O encontro reunirá música, poesia e projeção de imagens, e contará com a participação especial de Ana Lee. Haverá também a participação de Lúcia Rosa (Projeto Dulcinéia Catadora), Claudio Willer (poeta), e dos músicos e compositores Brau Mendonça, Cássio Gava, Graco Sílvio Braz, Itamar Vidal, Ozias Stafuzza e Vicente Thiné. Dia 11 de abril (sexta-feira), 20h00, Vila Teodoro: Rua Teodoro Sampaio 1.229 – Pinheiros [Esq. Henrique Schaumann - ao lado do Banco Itaú - estacionamento na Teodoro Sampaio 1.355]
Contato Vila Teodoro: (11) 3083.6465
Ana Lee
Mário Montaut
mario_montaut@hotmail.com

agulha - revista de cultura
http://www.revista.agulha.nom.br/
editoresfloriano martins & claudio willer

terça-feira, abril 01, 2008