Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, maio 04, 2007

ZÉ DE ROCHA Zé de Rocha. O Banho de NMF.Mixed media (100X80 cm)



Artista Visual e músico, nascido em 1979 e criado na cidade de Cruz das Almas (Bahia). Inicialmente autodidata, graduou-se em Artes Pláticas pela Universidade Federal da Bahia (UFBa). Gosta de imagens fortes, violentas e de teor erótico. Suas maiores influências vêm de Picasso, Francis Bacon, Giacometti e Juarez Paraíso.

"Há algum tempo noto, em minhas pesquisas na internet, a ausência de informações sobre vários artistas. Gente muito boa aqui da Bahia ou mesmo de outros países, com trabalhos excelentes, que não possuem ao menos uma boa reprodução circulando pela rede. Onde encontrar imagens de Rener Rama, Anderson, Walden, Adalberto? E o site de Juarez Paraíso?
Ouvi dizer que hoje em dia a pessoa É aquilo que se acha na busca do Google! Fiquei apreensivo! Até então eu não existia! De nada valeriam meus percalços, minha busca estética, minhas idas e vindas à Escola de Belas Artes (aliás, ainda não sou graduado: menti no perfil) e meu constante relacionamento com esse troço chamado Arte se eu, simplesmente, não tivesse uma existência virtual. Existência essa que, por ser “virtual”, suponho, também não exista! Ou seja: dá tudo na mesma!
Mas, já que é desse modo que as coisas funcionam ultimamente, vamos lá: - No sexto dia (pois no sétimo vou descansar!), numa espécie de auto Big Bang, crio a mim mesmo a minha imagem e semelhança no mundo da internet (mas “ao vivo” sou mais bonito!). Eis, irmãos, meu espírito consubstanciado em carne e sangue virtuais! Tomai e comei (mas com jeitinho, pra não doer!). Antes que o mundo acabe num apocalipse de poluição e aquecimento global, não posso deixar de frisar que, felizmente, houve o exemplo de Nelson Magalhães Filho - mestre, conterrâneo e incentivador. Em seu Blog (www.anjobaldio.blogspot.com) podemos encontrar, além de pinturas e desenhos, textos e poemas desse artista múltiplo. Também devo agradecer à Vanessa Cerqueira, designer com paciência para me explicar o pouco que sei sobre o trabalho com imagens no computador. São meus arcanjos, anjos baldios desse Adão cibernético que, se encontrar a maçã, vai comê-la com pimenta, à moda baiana!" (Zé de Rocha)


Zé de Rocha. Santo Brincando de Crucificação em Paisagem Cruzalmense.
Mixed media (200X150 cm)




2 comentários:

Braga e Poesia disse...

Zé de Rocha é um musico de uma sensibilidade unica, suas melodias percorrem o mundo rompendo rochas e escrevendo no ar palavras ontologicas e nos dizendo cores em golpes esteticos e suas pinturas são na verdade a aparição de suas musicas.

sandro ornellas disse...

Nelson, Cruz das Almas, que visitei rapidamente lá por 96, está me saindo muito bem na fita... quer dizer, na net. Estou conhecendo produções muito legais! Essa imagem sua tomando banho muito boa! Saudações, Sandro