Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

quinta-feira, maio 31, 2007


Parabéns, Lita Passos aniversário hoje



DAMA LUA

para NMF

Atrás dos gestos sutis
de dama lua
sete mil luas damas
cravadas
nos orifícios dos dentes
de lúcifer
por dentro do sorriso
prateado
centauros de fogo
soprando alho das ventas
pingam serpentes
de cada poro
da sua doçura
dos olhos escarlates
draculamente profundos
montanhas de besouros
agonizando o mundo
nos brilhantes cabelos
todas as galáxias do inferno.

Lita Passos

terça-feira, maio 29, 2007

Nelson Magalhães Filho. ALMOÇO NU, 1999, mista s/ tela, 140X115 cm
Lugar Comum 14: Madrugada

teus desejos longe dos meus
gelo e vodka mexidos por entre os dedos
calçadas curvas

queimam mendigos,
acontecimentos estranhos nessa cidade,
Jokerman, Jokerman,
Você continua a rir alto demais.

Ana Rüsche, do livro Rasgada

segunda-feira, maio 28, 2007

PAIM (pinturas recentes)
ELIAS SANTOS (desenhos)

DE 02 A 16 DE JUNHO DE 2007 NA GALERIA ACBEU
ABERTURA: 1 DE JUNHO ÀS 19H
VISITAÇÃO: SEGUNDA A SEXTA DAS 14 ÀS 20H
SÁBADOS DAS 16 ÀS 20H

Galeria ACBEU
Av. Sete de Setembro, 1883 - Corredor da Vitória
Cep: 40.080-002 / Salvador / Bahia / Brasil
T: [71] 3336 4411 Fax: [71] 3337 9233
http://www.acbeubahia.org.br/

sexta-feira, maio 25, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série 2004-2006, mista s/ papel, 70X50 cm


pernicioso aquilo me fez perceber
cruzes pintadas de cal o sangue no chão
carcomido pelo teu segredo atormentado
de tanto comer centopéias de tanto arroubo por avelãs.

Nelson Magalhães Filho

quarta-feira, maio 23, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mistas/papel, 20X20 cm


ainda assim atingiremos
de mãos permitidas ao afável
a aurora estúpida
do mundo corrompido.
ouviremos a grasnada das aves tristes
quando ainda teus olhos de violetas
deitam algumas lágrimas

sobre os lacraus
que me beijam na boca.

Nelson Magalhães Filho


terça-feira, maio 22, 2007

MEMÓRIA DA ÁFRICA ADRIANA ARAÚJO E SARAH HALLELUJAH
abertura: 25 de março, das 18h às 21h
exposição: 25 de maio a 22 de junho
de segunda a sexta, das 13 às 18h e aos sábados das 13 às 17h
GALERIA SOLAR FERRÃO
rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho
Salvador, BA
(71) 31176380



RESERVA TÉCNICA O Museu de Arte Sacra da Universidade Federal da Bahia e a Caixa Econômica Federal convidam para a inauguração da Reserva Técnica Professor Edgard Santos.
Data:
25 de maio de 2007.
Programação:
18:30h Apresentação do projeto na Igreja de Santa Teresa.
19:00h Visita guiada à Reserva Técnica.
19:30h Coquetel no Claustro do Convento.
Local:
Museu de arte Sacra da UFBA.
Rua do Sodré, 276
Centro - Salvador-BA.

Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/ papel, 20X20 cm


segunda-feira, maio 21, 2007

O SAPATO DO MEU TIO


fotos: Manú Dias

O SAPATO DO MEU TIO
Mostra a história de dois palhaços, um tio e um sobrinho, em uma rica relação de aprendizagem.
Direção: João Lima
Com :Lúcio Tranchesi e Alexandre Luís Casali
Produção: Selma Santos Produções
TEATRO XISTO BAHIA - Biblioteca Pública do Estado (Barris)
De sexta a domingo, 20 h até o dia 17 de junho

sexta-feira, maio 18, 2007

BESTUNTO VADIO
Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/papel, 20X20 cm.

a cidade aborta todas as noites:
aturdiu minha cabeça errante
com uma manada sórdida de porcos
e todos agora somos
taturanas nocivas.

Nelson Magalhães Filho

quinta-feira, maio 17, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/papel, 20X20 cm.

quarta-feira, maio 16, 2007

POEMAS DE LITA PASSOS OLHAR I

Com olhar longo e face indiferente
Contemplo manhãs e horizontes
Pastagens, hei de pastar, com fome insana
O espaço verde ou redemoinho de furacão
A morte é vida na qual
Folhas secas, cigarras, frutos, amor é inicial

Lita Passos


LEMBRANÇA I

Pudera eu contar esta história...
Mas é tão longa... Tão infinita...
Vem das raízes, da primeira seiva da terra.
Face prateada pelos reflexos do sol...
Lua cheia em pele de mares...
Como a claridade da lua, ainda lembro
A beleza da imagem daquele corpo aceso.

Lita Passos

RADIOGRAFIA DO SENTIR

Sou a tocada pelo fogo tingido de mel
A tocada pela saudade que exala da flor

Sou a tocada pela beleza do cerne do amor
A tocada pela música que exala do homem

Sou a tocada pela fina simplicidade de amar
A tocada musa pelo amor eterno do menino

Sou a tocada pela lágrima que enche o pote
A tocada pela ausência que preenche o vazio

Sou a alma tocada pelo canto do pássaro
A tocada pela voz do sentimento das criaturas

Sou a tocada pelo olhar que abre portas
A tocada pelo fio d água que corre ao vento

Sou a tocada pelo silêncio que derrama palavra
A tocada pela estrela da poesia viva

Sou a tocada pela sede do novo que nasce do novo
A tocada pelo novo amanhecer

Sou a alma tocada pela voz do vento, pela densa nuvem,
pelo prateado da lua, pelo calor da terra, pelo farol do sol.

Lita Passos

Lita Passos, natural de Cruz das Almas - BA é poeta e atriz. Participou de várias peças teatrais e recitais poéticos sob direção de Filinto Coelho, Renan Ribeiro e Nelson Magalhães Filho. Publicou em 1994 o livro "Flores de Fogo", e diversas antologias. Tem poemas no jornal A Tarde e nas revistas Exu, CEPA, Reflexos, etc.


Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/papel, 20X20 cm.

segunda-feira, maio 14, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/papel, 20X20 cm.
meu rosto está marcado pelos diamantes
e eu grávido de rua.
vago nas gardênias
acendendo os caminhos de teu ilusório
enquanto enterneço teus receios caóticos.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, maio 11, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série BESTUNTO VADIO, 2007, mista s/ papel, 20X20 cm


esgar
a fuligem de uma dor
que pasmo sem engano
retorcida pelo teu beijo-orvalho.
estanco o pôr-do-sol
antes da limpidez densa
das lâminas.
no braço avulso,
tristezas abstidas.

Nelson Magalhães Filho

quinta-feira, maio 10, 2007

RECORDAÇÕES HIPNOGÓGICAS Nelson Magalhães Filho. Gravura de 1983


Desenho à lápis de 1983, Escola de Belas Artes da UFBa.


quarta-feira, maio 09, 2007

IMPOSTURATexto > Marici Salomão
Direção > Fernanda D´Umbra
Com > Mário Bortolotto, Patrícia Leonardelli e Fernanda D´Umbra
Assistência de Direção > Samya Ennes
Iluminação > Celso Melez
Trilha Sonora > Fernanda D´Umbra
Operação técnica > Alessandro Bartel (Robocop)
HOJE - 19h
ESPAÇO DOS SATYROS
Praça Roosevelt, 214

Postado no blog do Mário Bortolotto: http://atirenodramaturgo.zip.net/index.html
A MORTE DIANTE DA LUA Nelson Magalhães Filho. A MORTE DIANTE DA LUA, 1998, mista s/ tela, 100X100cm.
III Mostra Cia de Orquestração Cênica - Centro Cultural São Paulo
SINFONIA PATÉTICA
Controlados por um bando de carrascos liderados por um coelho, diversos seres urbanos buscam relação enquanto um doente agoniza.
Espetáculo sem texto inspirado em Foucault.
Direção: Cesar Ribeiro
Com: Alexandra da Matta, Daniel Lemos, Débora Sperl, Everson Romito, Fernanda Catani, Rafael Menta, Rita Batata, Ruy Andrade, Selma Trajano,Tarcila Albuquerque, Tiago Mine, Ubiratan Honoratto e Ulisses Sakurai
60 minutos
Terças e quartas 21h
Estréia 15 de maio


DESCONSTRUÇÃO
Num misto de exposição e feira urbana, o público assiste na seqüência que desejar a 8 crônicas que refletem a vida nos centros urbanos, com temas como sexo, amor e morte
Direção e texto: Cesar Ribeiro
Com: Cleiton Pereira, Everson Romito, Ruy Andrade, Selma Trajano, Tarcila Albuquerque, Tiago Mine, Ubiratan Honoratto e Ulisses Sakurai
60 minutos
Domingos 19h
Estréia 13 de maio


QUEEN - A FESTA
Festa teatral em que o público é convidado a beber vinho e dançar músicas disco na comemoração do aniversário de Queen em uma danceteria no último dia do terceiro milênio
Direção e texto: Cesar Ribeiro
Com: Sergio Silva Coelho
60 minutos
Sábados e domingos 21h
Estréia 12 de maio




INTERMEZZO
Espetáculo sem texto que conta a história de um grupo de andarilhos e seres da noite que se encontram em uma encruzilhada e são envolvidos em um assassinato
Direção: Cesar Ribeiro
Com: Everson Romito (corvo), Ruy Andrade (profeta), Rita Batata (drogada), Tiago Mine (faxineiro) e Leandro Nith (funcionário)
60 minutos
Sábados 19h
Estréia 12 de maio




DIÁLOGO INÚTIL DO ABISMO COM A QUEDA
Inspirada em Beckett e utilizando a linguagem dos quadrinhos e desenhos animados, a peça narra a trajetória de um casal de velhos que estão juntos há 350 anos e voltam ao local em que se casaram para se separar
Direção e texto: Cesar Ribeiro
Com: Ruy Andrade (Abismo), Ulisses Sakurai (Queda) e Cleiton Pereira (Homem da Lata)
70 minutos
Quintas e sextas 21h
Estréia 11 de maio



fotos de Isaumir Nascimento


Centro Cultural São Paulo
Sala Ademar Guerra (porão)
Rua Vergueiro, 10003383.3400
[ vai você ! artistas e público fazendo arte ]
(São Paulo)
Exposição coletiva com ANABELA SANTOS - EDUARDO VERDERAME - FÁBIO CARVALHO - FERNANDO CARDOSO - JULIETA MACHADO - MARTA NEVES - NINO CAIS - RAQUEL GRALHEIRO - REGINA JOHAS
Nesta proposta todo mundo trabalha: Na galeria tem trabalho de artista e trabalho do público. Quem for visitar a exposição vai encontrar espaço também para trabalhar, criar e se expressar artisticamente.
O melhor é fazer da galeria um grande ateliê de trabalho para produzir conjuntamente o conteúdo da exposição. São espaços para desenhar, cantar, construir, escrever, refletir e produzir.
abertura: dia 12 de maio às 11h
período da exposição: de 12 de maio a 22 de julho
Galeria Olido
Avenida São João, 473 - São Paulo - SPTel: 3331-8399 3334-0001 ramal 2006O
COLETIVO OLIDO é uma iniciativa da Divisão de Curadoria do Centro Cultural São Paulo de reunir os representantes dos coletivos paulistanos que vêm se destacando nos últimos anos pela sua produção cultural e por sua ação sócio-educativa.
O programa prevê não só uma mostra das atividades destes grupos, mas também propõe a criação de um fórum que discuta as transformações possíveis por meio da arte nos dias de hoje.

A primeira proposta do COLETIVO OLIDO é idealizada pelo Projeto de Intercâmbio Cultural LINHA IMAGINÁRIA WWW.LINHAIMAGINARIA ..COM.BR
FLÁVIA MEDEIROS Pinturas de Flávia Medeiros

Através da beleza plástica de seu trabalho, onde a paleta colorida encanta, a artista baiana, Flávia Medeiros, aborda a situação da mulher moderna, que por um lado conquistou seu espaço e por outro encontra-se em busca de sua própria caminhada. Na sua obra, a questão natural do feminino ferido confronta-se, diretamente, com a procura racional pela razão da existência.
arte concreta
galeria de arte
Shopping Boulevard 161 - Itaigara
(71) 3358-2388 / 9964-1141
MATADOURO CRUZ Nelson Magalhães Filho. S/T, 2003, serigrafia e aquarela s/ papel craft, 13X11 cm.

segunda-feira, maio 07, 2007

Restaurante Grande Sertão
Projeto Poesia na Boca da Noite"E sta casa não tem lá dentro - A casa não tem lá fora"

convidam para o recital das poetas

Ana Cecília de Sousa Bastos & Grazziela Barreto

e para um bate-papo com o poeta cearense

Carlos Gildemar Pontes

que vai lançar seu livro

Quando o amor acontece...


Coordenação: José Inácio Vieira de Melo

Data: 8 de maio de 2007 (terça-feira) Horário: 20h
Local: Grande Sertão – Rua Adelaide Fernandes Costa, 122
Costa Azul (Em frente à Cantina Cortile)
Salvador – Bahia – Brasil Couvert: R$ 5,00

MAIS INFORMAÇÕES:
José Inácio Vieira de Melo
FONE: (73) 8118 9442/ (73) 3526 1936
E-MAIL: jivm.inacio@ig.com.br
Cursos de extensão na Escola de Belas Artes
P A N O R A M A G A L E R I A D E A R T E
ANNA GEORGINA ROCHA CARDOSO
http://www.panoramagaleriadearte.hpg.com.br/
E-mails : annagrc@terra.com.br panoramagaleriadearte@bol.com.br

COLETIVA DE MAIO
Vernissage : 09 de Maio ( quarta-feira ) às 20 horas

Ana Lucia Teixeira
Ângela Dórea
Anna Georgina
Gláucia Bastos de Araujo
Graça Pizani
Grace Gidi
Gomes Jacy Nascimento
Luiz Pimenta Pedroso
Rocha Ruy Garcez
Waldeth Garcez

Período : 09 até 31 de maio de 2007
Horário : Segunda a sexta-feira 9:30 às 12:00 e das 14:00 às 18:00 horas Sábado : 9:30 às 12:00 horas
TELEFAX : 55 ( 71 ) 3240 – 6375 Fones : 3248 – 0237 = 9982 – 2254 = 8106 - 9558
RUA ESCRITOR NELSON GALLO, 19 - RIO VERMELHO
41.940 – 010 = SALVADOR – BAHIA - BRASIL

sexta-feira, maio 04, 2007

NUVENS SISMOGRÁFICAS Abertura nesta sexta-feira na GALERIA ACBEU

ZÉ DE ROCHA Zé de Rocha. O Banho de NMF.Mixed media (100X80 cm)



Artista Visual e músico, nascido em 1979 e criado na cidade de Cruz das Almas (Bahia). Inicialmente autodidata, graduou-se em Artes Pláticas pela Universidade Federal da Bahia (UFBa). Gosta de imagens fortes, violentas e de teor erótico. Suas maiores influências vêm de Picasso, Francis Bacon, Giacometti e Juarez Paraíso.

"Há algum tempo noto, em minhas pesquisas na internet, a ausência de informações sobre vários artistas. Gente muito boa aqui da Bahia ou mesmo de outros países, com trabalhos excelentes, que não possuem ao menos uma boa reprodução circulando pela rede. Onde encontrar imagens de Rener Rama, Anderson, Walden, Adalberto? E o site de Juarez Paraíso?
Ouvi dizer que hoje em dia a pessoa É aquilo que se acha na busca do Google! Fiquei apreensivo! Até então eu não existia! De nada valeriam meus percalços, minha busca estética, minhas idas e vindas à Escola de Belas Artes (aliás, ainda não sou graduado: menti no perfil) e meu constante relacionamento com esse troço chamado Arte se eu, simplesmente, não tivesse uma existência virtual. Existência essa que, por ser “virtual”, suponho, também não exista! Ou seja: dá tudo na mesma!
Mas, já que é desse modo que as coisas funcionam ultimamente, vamos lá: - No sexto dia (pois no sétimo vou descansar!), numa espécie de auto Big Bang, crio a mim mesmo a minha imagem e semelhança no mundo da internet (mas “ao vivo” sou mais bonito!). Eis, irmãos, meu espírito consubstanciado em carne e sangue virtuais! Tomai e comei (mas com jeitinho, pra não doer!). Antes que o mundo acabe num apocalipse de poluição e aquecimento global, não posso deixar de frisar que, felizmente, houve o exemplo de Nelson Magalhães Filho - mestre, conterrâneo e incentivador. Em seu Blog (www.anjobaldio.blogspot.com) podemos encontrar, além de pinturas e desenhos, textos e poemas desse artista múltiplo. Também devo agradecer à Vanessa Cerqueira, designer com paciência para me explicar o pouco que sei sobre o trabalho com imagens no computador. São meus arcanjos, anjos baldios desse Adão cibernético que, se encontrar a maçã, vai comê-la com pimenta, à moda baiana!" (Zé de Rocha)


Zé de Rocha. Santo Brincando de Crucificação em Paisagem Cruzalmense.
Mixed media (200X150 cm)




quinta-feira, maio 03, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série 2004-2006, mista s/ papel, 70X50 cm.


de meus farrapentos cabelos
a serpear longos amarantos
lágrimas rotas alargam-se mariposas crepusculares.
um anjo traiçoeiro pelo asfalto cerca-me
a incompreensível ternura.
hoje de noite estou desacompanhado tão furioso,
enquanto teu amor infunde receio.
voltarei não ver o mar do corsário
e não vou chorar-antes romper o sol: beijo
que traspassa pela vagueza do
gaturamo-frugívoro come cinzas do amanhecer.

Nelson Magalhães Filho

quarta-feira, maio 02, 2007

meus amores se arruínam
de uma orquídea entre espojar
dentes tingidos pela carniça,
porque me alimento da força destrutiva
dos cachorros baldios
que despencam do céu
embotamento em noites de borboletas
depois de violarem os mares imundos.
meus amores espessos deságuam
de uma orquídea quando verto vaguear
sanhas vermelhas através da pele.

Nelson Magalhães Filho



Fotografias digitais: NMF