Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

domingo, junho 24, 2007

espadas de fogo no são joão de cruz das almas
Nelson Magalhães Filho. Aquarela s/papel, 14X12 cm
NOITES FELINAS

































































Fotografias de Nelson Magalhães Filho

5 comentários:

ronaldo braga disse...

e vivas as espadas. As espadas é pra cruz das almas algo grandioso, é só observar o pessoal olhando as espadas pra sentir como as espadas criam uma atmosfera unica, unindo pessoas e fazendo todas sentirem o mesmo sentimento pela mesma coisa: é o mito, que em cruz une as almas e faz com que sejamos uma comunidade unida em torno de uma tradição, e é preciso e necessário manter a tradição, que nos faz sentirm nos faz ter um sentido, uma razão, uma origem, um lugar. As espadas em cruza das almas tem um papel de estetica e acima de tudo é o nosso mito. Viva a gurra de espadas de Cruz das Almas.

Ruela disse...

Espectacular!!!
Um abraço.

SANDRO ORNELLAS disse...

Nelson, sinto algo estranho só de olhar para as espadas rodopiando por entre as pessoas. Soube que todo mundo muda de profissão em Cruz das Almas nessa época: vira espadeiro. E a aquarela tá massa: espadeiro pronto pra dança-guerra.
Cruz das Almas é terra de artista, poeta e espadeiro.
Abraço

luciano fraga disse...

Buenas,belas imagens do nosso bom São João,distorcido das antigas evelhas batalhas...nas paredes,riscos negros,no coração:solidão...

George Orteyga disse...

beleza sombria, magnifico