Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, dezembro 28, 2007

Nelson Magalhães Filho. Mista s/papel, 70X50 cm

Os que chegam com a noite
esvaem-se no último deus.
Brumoso, beijo bizarra miragem
seio de leite do anjo.
Novenas exaltadas
noturno o anjo abisma-se
de encontro às vertiginosas águas.
Ademais sou desamor
e pela desilusão de não ser
seduzido pelo mar
viperino, meu sangue alastra-se
pela noite visguenta.

Nelson Magalhães Filho
disco, livro e filme para esse final de semana




sexta-feira, dezembro 21, 2007

Nelson Magalhães Filho. ALMOÇO NU, 1999, mista s/tela, 110X85 cm

tua navalha abre os segredos selvagens da noite
e te amo com a crueldade do veneno lançando golpes de mar
e acender-se-iam velas em teu corpo profundamente blue
desesperadamente possesso pousar os lábios carnudos de vermelho
como bazuca retorcendo tua mordida seca de réptil
provocando intensa narcose capaz de perturbar os malditos querubins
escondidos nas entranhas dos lagartos tomando conta de mim
te amo e rasgo um por um teus bálsamos luarizados
tuas carícias despojadas de sentido
depois das horas ocas
que me importa se a vida me estupra com suas ruas pungentes que não nos levam
a nada no fundo deste inferno
...................se eu não posso te
beijar te quero demais louca sem disfarce
a fronte emudecida ouvindo 15 invenções
a 3 vozes de bach feitiços este nosso amor
barroco
roubando-me anjo-vertigem animal-fogo
o quanto me custa para sentir passar a língua
no teu ouvido e gemer despedaça o couro
do sapato marrom nas paredes
os cartazes políticos urdindo seixos cospem na pia hirsutos-
trêmulos-de-estrela-flor-guizo voluptuosamente ai que dor,
não sei porque este raio de lua apedreja minha cara
eu não quero me trancar todo de borboleta.

Nelson Magalhães Filho

Led Zeppelin - Black Dog

Para Kátia Borges

http://mmeka.wordpress.com/

disco, livro e filme para esse fim de semana



quinta-feira, dezembro 20, 2007

Bob Dylan - When The Deal Goes Down



Este vídeo é dedicado a Renata Belmonte

http://vestigiosdasenhoritab.blogspot.com/

Nelson Magalhães Filho. Série 2004-2006, mista s/papel, 70X50 cm

Os tigres chegaram.
Sonhos cobrem tua vasta cabeleira
ornada de cambraias
dilacero pétalas nos tigres
lágrimas as mais tristes sobre a face.
De pranto alucinado pelo vento
arrufo-me de encontro ao morno
alagamento da vertigem.
Urgiam cachorros selvagens
pelos eucaliptos
avançavam as águas ardentes
em minha direção.
Contra as ondas escuras singraremos,
os tigres chegaram
os cacos das unhas descendo pelo peito.

Nelson Magalhães Filho

AS SOMBRAS, poema de Samantha Abreu



BLOG DE SAMANTHA ABREU:
http://samanthaabreu.blogspot.com/

terça-feira, dezembro 18, 2007

A arte maravilhosa de Ruela


Conheça mais sobre o artista plástico Ruela:
http://neoartes.blogspot.com/
Nelson Magalhães Filho. Morte pelo Sonho 2, 1991, mista s/madeira, 117X78 cm

arrancado
com as unhas do telhado,
o creme de mamão
que Rebeca morria
a cada noite,
como uma mariposa negra.

Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, dezembro 17, 2007

hoje
LIMITES XILOGRÁFICOS (memória urbana recortada)
Exposição Individual de Adailton Barros no Memorial da Câmera Municipal de Salvador
18 horas




XILO CORDEL VIVO (de Franklin Maxado)

Curadoria: Lita Passos
Abertura: 19 de dezembro
Caixa Cultural Salvador

sexta-feira, dezembro 14, 2007

VOCÊ PENSA QUE ESTOU ESPERANDO A AUSÊNCIA

você pensa que estou esperando a ausência, que não chega nunca com as tarântulas acesas nem nas vísceras mais escuras que estupradas pelas brasas da noite-erma pudesse me deixar só e pouco importa. mas não é isso que me move para o mar meu bem, pouco me importa se a tesoura-vertida amolada pela minha cara de cão crava tua alma no espelho aceso dentro mar.

Nelson Magalhães Filho

hoje no XI FESTIVAL DE VÍDEO IMAGEM EM 5 MINUTOS Programa panorama nacional 5’
11 a 14.12 (ter a sex) das 13h - 17h - SALA WALTER DA SILVEIRA
Esta mostra exibe 308 vídeos inscritos no festival, mas não selecionados para a Mostra Competitiva.
Oportunidade única para conferir um amplo panorama da mais recente produção audiovisual brasileira.
hoje - 14.12 sex -17h - programa 20
TATURANAS, 2007, 3'40''
Um vídeo-poema-experimental de Nelson Magalhães Filho
Com Gabriel Marques

a cidade aborta todas as noites:
aturdiu minha cabeça errante
com uma manada sórdida de porcos
e todos agora somos
taturanas nocivas.


Nelson Magalhães Filho
disco, livro e filme para esse final de semana


quarta-feira, dezembro 12, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série 2004-2006, mista s/papel, 70X50 cm

Veja se atravessa dentro de mim, são anos de beber folhas de ninféas eu todo vestido de máquina das odisséias amargas tingido de ilusão, atirando casca de laranja na chuva das urânias, como a DAMA LUA de Pollock, dizendo numa carta que ser poeta é levar o abismo na alma. Por uma estranha certeza eu acreditava que as ruas afundaram. Se fuderam como se nunca, atrás de nós, irrespondíveis os quartos à luz de garotos podres & das reproduções de Bosch. Sangro ao sax do Erik Satie & o que está incrustado em mim é a fundura de um vendaval proibido. Ainda gosto de brincar com aquele gato de olhar corrosivo dos aguaceiros vomitando as paisagens que as crianças urbanas comeram com os insetos & as divindades, gravando na memória dos becos & nos asfaltos os sonhos dos meninos, indizíveis. E o sorriso alguns anos escuros na crueldade... alguém me dizendo não aos seus medos (mussitação que saía de seus lábios grossos) alguém rasgando a sua pele despindo-se com desenvoltura alguém me acariciando o peito deixando fluir seu brilho desesperado alguém me dizendo que já não acha loucura tragar estrelas como cigarros de haxixe quando as cores de todos os seus olhos saravam minhas feridas.

Nelson Magalhães Filho
LITA PASSOS na Academia de Letras do Recôncavo




Corpos Mutantes: ensaios sobre novas (d)eficiências corporais
Edvaldo Souza Couto e Silvana Vilodre Goellner (orgs)
Editora da UFRGS
Lançamento do livro:
Dia 15/12/2007 - Sábado
Horário: A partir das 10:00 horas
Local: LDM Livraria Multicampi
Rua Direita da Piedade, 20
Piedade - Salvador - BA
Telefone: (73) 2101.8000
O livro contém trabalhos dos seguintes professores:
Edvaldo Souza Couto (org.) - UFBA
Silvana Vilodre Goellner (organizadora) - UFRGS
Annamaria da Rocha Jatobá Palácios - UFBA
Malu Fontes - UFBA
Danillo Barata - UFRB
Dagmar Estermann Meyer - UFRGS
Ieda Tucherman - UFRJ
Homero Luís Alves de Lima - UFC
Varlei de Souza Novais - FACOS
Luciana Loureano Paiva - UFRGS
Mara Ambrosina Vargas - UNISINOS



ARRANJOS
No próximo dia 15 de dezembro, na praça de alimentação da Av. Getúlio Vargas, aqui, em Feira de Santana, haverá muita Bossa Nova, Samba e Chorinho no projeto Natal na Praça, realizado pela Prefeitura de Feira de Santana e o responsável por toda esta seleta musical é o grupo Arranjos ( Paulo Akenaton na voz e no violão, Gabriel ferreira na percussão e Silvério Duque no clarinete, que contará com a participação especial da cantora Karla Dias e da poetisa Nívia Maria Vasconcellos.
O show começa às 19h
SOPALAVRA na Escola de Belas Artes
Nesta quinta- feira, 13 de dezembro, às 18:00hs. estaremos recebendo o poeta Bernardo Linhares na apresentação de poesia do Projeto SOPALAVRA Poesia na EBA, última apresentação de 2007 .
Retornaremos a programação em Março de 2008.
Aproveitamos para agradecer o apoio dos alunos, amigos e público que vem acompanhando nossas apresentações e, principalmente aos poetas: CRIA Poesia, Miguel Carneiro, Damário Dacruz, James Martins e Banda &ILU(diamante)MINA, Fabrícia Miranda, Lita Passos, Gabriela Carvalho, Antônio Barreto e Bernardo Linhares, que se disponibilizaram, trazendo sua produção para o conhecimento do público e do alunado da Escola.
Agradecemos, também, à equipe da Escola de Belas Artes da UFBA e colaboradores, Prof. Jota Dias, Prof. Edgard, Vania Moura, Bruno, Claudio, Amenon Mascelani, Luiz Augusto, A Romana, e, especialmente ao Prof. Roaleno Costa pela proposta inovadora de valorização da arte e da cultura baiana.
Contamos com a participação de todos para o recital de Bernardo Linhares.
Bel Mascelani

terça-feira, dezembro 11, 2007

10 de dezembro de 1925 - 09 de dezembro de 1977

Isso não é um lamento, é um grito de ave de rapina. Irisada e intranquila. O beijo no rosto morto.
Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida. Viver é uma espécie de loucura que a morte faz.

Clarice Lispector, do livro UM SOPRO DE VIDA, Círculo do Livro, SP, 1978

quinta-feira, dezembro 06, 2007


De 07 a 09 de dezembro, na Praça do Campo Grande, das 11 às 21 horas, estará acontecendo a Feira de Arte & Antiguidade, que contará com atrações, lazer, praça de alimentação, livros, discos, cds, quadros, artesanato e outras antiguidades. A Diadorim estará lá durante os três dias com promoções imperdíveis! Compareçam! Também estarão sendo arrecadados alimentos e notas fiscais para doação às instituições de caridade.

Um abraço,
Equipe Diadorim
9967 9608





GALERIA DA SÉ

Inauguração: 8 de dezembro às 19 h
A Galeria da Sé pretende ser um espaço de experimentação. Uma galeria disposta a acolher propostas diferenciadas e participativas de arte. Em sua inauguração a Galeria da Sé tem o prazer de apresentar a exposição "O Museu é o Mundo" uma mostra de registros de arte pública pertencentes ao PIA – Programa de Inteferência Ambiental.
Nesta exposição participam artistas e grupos de diversos estados; uma grande oportunidade de conhecer melhor a arte que é feita na rua. Minha amiga e artista plástica Ana Paula Pessoa estará fazendo uma performance com transparências de pin ups do inicio do séc. XX.

Praça da Sé, 20 - Pelourinho (acima do bahiacafé.com)





GALERIA ACBEU

Abertura: Dia 07 de dezembro às 19 horas
Visitação:De 07 a 19 de dezembro de 2007
De segunda à sexta feira, das 14 às 20hs
Aos sábados, das 16 às 20 horas
Fechado aos domingos
Galeria ACBEU
Av. Sete de Setembro, 1883 - Corredor da VitóriaCep: 40.080-002 / Salvador / Bahia / Brasil
T: [71] 3444 4411 Fax: [71] 3444 4449
Nelson Magalhães Filho. Série 2004-2006, mista s/papel, 70X50 cm

Perece a noite entre trovoadas espessas
vigorosas pulsações pelo amanhecer
de mariposas mareadas.
Perece a madrugada desumana
aqui no quarto em amargor
ventos violentos fecham-me
os olhos vermelhos
desde que, cheia de estranhas paixões
você partiu para além do mar.
É apenas mais uma tempestade
em meu coração melancólico
que corre dentro da noite com as cadelas.

Nelson Magalhães Filho

quarta-feira, dezembro 05, 2007

XI FESTIVAL DE VÍDEO IMAGEM EM 5 MINUTOS

Programa panorama nacional 5’
11 a 14.12 ter. a sex. 13h - 17h - SALA WALTER DA SILVEIRA

Esta mostra exibe 308 vídeos inscritos no festival, mas não selecionados para a Mostra Competitiva.
Oportunidade única para conferir um amplo panorama da mais recente produção audiovisual brasileira.
14.12 sex -17h - programa 20

TATURANAS, 2007, 3'40''
Um vídeo-poema-experimental de Nelson Magalhães Filho
Com Gabriel Marques
a cidade aborta todas as noites:
aturdiu minha cabeça errante
com uma manada sórdida de porcos
e todos agora somos
taturanas nocivas.

Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, dezembro 03, 2007

EFRAIM MEDINA REYES

SONHEI QUE TRANSAVA COM A SYLVIA PLATH

Arranha-céus que caminham pela superfície da água como profetas tardios. Homenzinhos cheios de comprimidos que caem das altas janelas dos seus sonhos até os bueiros e ralos do homem branco. Vampiros que chupam ânsia nas privadas públicas. Escolares assassinos e todas as coisas que nunca aparecem nos postais.
No meio do trânsito sou alguém que aprendeu a voar, poderia assombrar magos e xamãs. Prefiro mergulhar no bosque da noite, saltar ao céu, com todos esses truques que jamais usei.


Efraim Medina Reyes

http://www.pistolerosputasydementes.blogspot.com/

Do livro de poemas Pistoleiros/Putas e Dementes,2006, Ed. Garamond, RJ,
Tradução de Maria Alzira Brum Lemos:
http://www.laoutra.blogspot.com/



FÁBIO MAGALHÃES



LINHAGENS DO ACASO
Galeria da Aliança Francesa
Vernissage 13 de dezembro (quinta-feira) às 19:30 h
14 de dezembro de 2006 - 04 de janeiro de 2008