Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sábado, dezembro 29, 2007

VOCÊ É MINHA POETA QUE BEIJO

15 comentários:

Gustavo Rios disse...

Nelsão, grande obra. poema grandioso. sua voz dá o tom certo. aliás, tuas coisas que leio aqui tem aquela força rara. aquela pegada Rimbaud. de quem sabe que o mundo real não mora nas obviedades.
manda teu endereço. por amil. vou te mandar um livro meu.

abçs

Nelson disse...

Valeu Gustavo. O Rimbaud sempre será nosso ídolo. Grande abraço.

ronaldo braga disse...

o caminho é este, buscar a variação á escrita. o blog começa a ficar mais rico novos formatos de expressar as artes e a poesia ganha recursos teatrais, com a sua interpretação, revelando sentimentos poeticos traduzidos não mais em palavras, mas agora em "gestus" e voz.

Ruela disse...

gostei imenso tanto da forma apresentada como da música de fundo.
Muito bom mesmo.
Parabéns ao Nelson e ao Zé de Rocha.

Rodrigo Lopez-Balthar disse...

Muito boa idéia, esta do poema em vídeo, espero outras... Feliz Ano Novo, camarada!

Zé de Rocha disse...

Muito bom, caro Rotieh!!!
Teus poemas ganham vida quando interpretados por ti.
Agora fiquei mais incentivado para compôr novas trilhas!
Um grande abraço

Lima Trindade disse...

Nelson, mandei um livro meu pra vc há uma cara, por intermédio da Lita Passos, q dizia de identificações mal e bem ditas de poesia e vida, recebeste?

katherine funke disse...

que belo, que expressivo. eis um poeta que sabe recitar como poucos. e a música, complemento excelente.

Adriano Caroso disse...

Poema e trilha perfeitos. Sua interpretação está nota dez! Você e Zé de Rocha estão de parabéns meu caro.
Trabalhei um tempo com um grande artista plástico da Bahia, hoje tamnbém meu compadre, Ray Vianna. Não sei se conhece o trabalho dele, mas se quiser conferir a história vá no link http://adrianocaroso.blogspot.com/2007/04/ilha-do-pirata-ray-vianna-na-histria-i.html
O primeiro capítulo dos sete que a história tem. É a história de uma amizade de vida e a valorização do trabalho do grande artista que Ray é. Um abraço!

anjobaldio disse...

Caro Lima Trindade: hoje pela tarde peguei seu livro que Lita Passos deixou com seu irmão. Vou devorá-lo neste fim de semana. Obrigado, e grande abraço.

Luíza disse...

Passando para desejar um feliz ano novo, outra hora venho com mais calma ao teu blog, que eu aprecio muito.
Beijão

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt disse...

UM BELO VIDEO ,COM UMA BELA MUSICA DE FUNDO E MUITO BEM RECITADO ,PARABÉNS
HJE DEIXO UM POEMA MAIS CALIENTE SE KISERES PASSA POR CÁ
BJO
CARL GRANJA

Renata Belmonte disse...

Parabéns, Nelson! Você como sempre fazendo a diferença.
Bjs,
Renata

Luiz Roberto Lins Almeida disse...

excelentes texto e performace!

lapa disse...

GOSTEI MUITO.