Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Nelson Magalhães Filho. O VOO, técnica mista s/papel, 10X20 cm, 1981

a natureza íntima de tuas asas turbulentas
é mais luzidia que o luzeiro
de mil olhos em coro,
por um alguém que partiu sem paixão.
coração turbulento, anjo da guarda...
o denso anoitecer de tua vaga lembrança
craveja outras sangrias, faz derramar o devaneio
e acende a profunda entrada de meus olhos.

Nelson Magalhães Filho, em As Luminárias (1982)

16 comentários:

Lord of Erewhon disse...

«craveja outras sangrias» - Um achado!

Um bom Natal, Nelson
Abraço.

Val disse...

Nelson, esse trabalho me pareceu uma gravura!!!


foi na loja de quadrinhos????

abraços

Ruela disse...

Excelente.




Boas Festas Nelson.


Abraço.


p.s. O Discharge 5 abre no dia 1,
o 4 já está encerrado para postagens.

On The Rocks disse...

lembro-me muito bem das luminárias...

bons tempos em que este livro pousou em minhas mãos!

abraços e obrigado pelo carinho.

Adriana disse...

"e acende a profunda entrada dos meus olhos" muito lindo. Gostei da gravura. Abraço, Adriana

Luciano Fraga disse...

Buenas, de 82, tenho ele aqui guardado, velho e bom, como um bom vinho, abraço.

Miguel Barroso disse...

Anseio por ler esse livro.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

kek-w disse...

Marvellous!

Trivial Sofisticado disse...

Salve, salve, Nelson!
Um Feliz Ano Novo pra você também, meu caro!
Grande abraço!!!

graça sena disse...

às vezes a tensão relaxa e pensamos ser anjos (ainda que caídos); ouça Joanna Newsom e tenha um ano bom, musical e poeticamente bom.
abs e carinho
Rainha Mórbida

Zinaldo Velame disse...

Lembro-me bem destas palavras. Muitas vezes lidas em recital ou cantadas por Beto Rebelde e também por você NMF no Poema Bar, bons tempos! Abraço!

Lord of Erewhon disse...

Um profícuo e auspicioso 2009, Nelson, paz e progresso para nossas pátrias!

Um estreito abraço.

Luisa disse...

olhos de lume

Ca:mila disse...

a imagem linda está para o poema belo, a beleza da turbulência.


feliz ano novo de sol nas janelas abertas!

aluisio martins disse...

Se depender de tanta arte sua a vda ainda promete mais em 2009.
Abs
Aluisio Martins

. fina flor . disse...

um ano de muita criatividade para você também, querido

beijos

MM.