Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, novembro 05, 2007

minha amiga lita passos está no grande sertãoPOESIA NA BOCA DA NOITE
Dia 6 de novembro às 20 h


CESARE BERLINGERI no MAM

Berlingeri abre exposição pela primeira vez em Salvador
Exposição do artista italiano no MAM traz erotismo e intenso diálogo com arte brasileira

O artista italiano Cesare Berlingeri tem suas obras expostas pela primeira vez na Bahia. Essa também é a primeira vez que é realizada uma exposição das suas pinturas no Brasil. A abertura da mostra acontece a partir das 20 horas de amanhã, terça-feira, dia 6 (novembro, 2007), ficando em cartaz até dia 2 de dezembro, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM). O MAM é um dos 12 espaços culturais do Estado administrados pelo IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia), além do Museu de Arte da Bahia, Palácio da Aclamação e Palacete das Artes, entre outros. O MAM sedia ainda um Salão de Arte, eventos ligados a outras linguagens, como cinema e vídeo, e shows na sua área externa, como a jam session de jazz que acontece todos os sábados, a partir das 18 horas.
A atual exposição do artista italiano apresenta aprofundamento de profícuo diálogo que a arte brasileira mantém com a produção contemporânea italiana há mais de 50 anos. Para o ciclo de suas exposições no Brasil, Berlingeri criou, propositalmente, uma nova instalação de 21 telas dobradas, todas brancas e desenhadas de preto, que fluem da parede para outros planos inclinados. A exposição traz procedimentos antropológicos do artista retomado pela história dos tecidos utilizados no teatro e na pintura para a recondução às implicações ancestrais e na constituição da importância em relação ao repertório ilimitado das técnicas de construção pictóricas.

Cesare Berlingeri começou a pintar com oito anos de idade. Seu trabalho consiste em dar dobramento às telas de seus quadros, propondo uma não-repetição e trazendo uma evolução artística própria e pessoal. Suas dobras não produzem somente formas e volumes, mas são também bifurcações entre pinturas, esculturas e performances. A energia plástica das dobras, o movimento dos sinais e o respiro das cores são agora as expressões de objetos que lutam entre múltiplas identidades. Segundo o artista, seu trabalho pode encontrar alguma semelhança com o barroco da Sicília, ilha banhada pelo Mar Mediterrâneo e localizada no sul da Itália, e não com o barroco romano do Bernini. O artista afirma que o barroco siciliano é uma linha que adentra de uma linha a outra, e assim para o infinito. “Minhas dobras não representam um gesto como o de dobrar a camisa. O dobramento consiste em colocar uma camada por cima de outra camada de matéria, seja o que for, tela ou tinta, isso pertence à atividade do artista. Portanto não me afasto dos grandes caminhos da pintura”, diz o artista italiano.
Para Cesare, suas obras de arte são produzidas com poucas cores para ter a possibilidade de ser mais austero. Segundo ele, essa é a grande mensagem que se pode tirar da Arte. Para Berlingeri o homem deve ser colocado no centro de seu trabalho, o que o aproximaria do humanismo. O uso dos materiais utilizados faz lembrar o corpo humano cheio de orifícios pelos quais se comunica com a sua sexualidade. “A sensualidade, a maciez e as formas redondas de alguns dos meus trabalhos possuem um alto teor erótico. Eu estou convencido que o trabalho sem Eros é um trabalho sem vida”, comenta o artista italiano. Outras informações sobre o MAM suas exposições, shows, filmes e atividades artísticas, podem ser obtidas através dos Tels. (71) 3117-6065 ou 3117-6139. O horário de atendimento é de segunda a sexta das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas. O MAM fica na Avenida Contorno s/nº, Solar do Unhão, Salvador.

Assessoria de Comunicação – IPAC
Jornalista responsável: Geraldo Moniz (1498-MTBa) – (71) 8732-0220
Pesquisa, entrevista e texto-base: estagiário Albérico Manoel
Tel. ASCOM/IPAC: (71) 3116-6673, 3117-6490, ascom@ipac.ba.gov.br
Texto: ASCOM/IPAC, em 05.11.2007

Um comentário:

Ruela disse...

tenho que passar a batata quente :)

O blogger RAA, Abencerragem lançou-me o desafio da «página 161»:

1. Pegue no livro mais próximo, com mais de 161 páginas -- implica acaso e não escolha.
2. Abra o livro na página 161.
3. Na referida página procure a 5.ª frase completa.
4. Transcreva na íntegra para o seu blogue a frase encontrada.
5. Passe o desafio a cinco bloggers.

Quem vai ser?

1. art of love
2. Escárnio e Maldizer e mais qualquer coisa. (novamente) :)
3.peach
4.legível
5.anjobaldio (novamente) ;)
um abraço Nelson.