Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, janeiro 14, 2008

TATURANAS, um vídeo de Nelson Magalhães Filho

23 comentários:

Adriano Caroso disse...

Muito forte este vídeo. Tenho de confessar que não foi nada agradável assistí-lo mas não posso deixar de reconhecer que está muito bem feito. O poema e a música de Zé de Rocha estão perfeitos. Por falar em Zé, andei passeando pelo blog dele. O cara é muito bom! Obrigado pelas suas visitas!

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt disse...

olá meu amigo! este video eu nao o consegui ver ate ao fim ,mas isso nao quer dizer k nao esteja um optimo trabalho. se kiseres passa pelo o meu hi5
http://paixoeseencantos.hi5.com
e me diz se gostas ,tenho tmb um poema sobre uma tela e como tu és pintor vem ver se goostas desta pintura
bjo
carla granja

rkjazz disse...

o bicho homem morre mais rápido, né não? forte sim a morte, mas faz parte da vida. não entendi direito o poema (sou meio surdo mesmo). manda pra eu ler no rkjazzbass@gmail.com . a música não tem muita variação (na terceira vez irrita um pouco), mas acho que era esse o efeito sonoro que vc queria dar mesmo. não entendo muito do processo de se fazer um vídeo, mas tudo me parece ser coerente. manda brasa que vc tem o que dizer, velho. abraço.

Sebo de Livros disse...

Oi, Nelson, belíssimo vídeo. Amei! Narlan está fazendo PhD na University of Illinois, nos EUA, e deve ficar lá uns 4 anos. Está de casamento marcado. O e-mail dele é narlanmatos@hotmail.com. Beijs

Lima Trindade disse...

Nós taturanas. O vídeo é violento sim. Trouxe cão andaluz e deus e o diabo juntos. buñel. glauber. mas teu vídeo traz o excesso próprio de nossos dias, irremediável. Não mais soluções psi. Mares vermelhos. É incômodo, sim. Por isso. Aquilo. Muito bom. E a música está perfeita.

Ruela disse...

Visceral e feroz...Parabéns

publiquei no Discharge 4

http://fishyarts2.blogspot.com/



Um abraço!

SANDRO ORNELLAS disse...

massa, velho! a melhor produção da cia do anjo baldio: música, cor, edição e argumento provocador.

Rodrigo Lopez-Balthar disse...

A imagem do sangue jorrando do porco é esteticamente perturbadora, assim como, os olhos do porco-homem alternados.
A cidade, é Cruz das Almas?

Rodrigo

SAMANTHA ABREU disse...

puxa.
forte.
senti arrepios e,
sendo franca, tenho mais dó do bicho, do porco.
Não sei porque é assim aqui dentro.
Mais lágrimas tenho mais a derramar pelo sangue do animal.
É minha parte pura que confessa isso.
E tento vencê-la, às vezes.

Beijos, Nelson!!!

Fao disse...

\Nelson, gostei bastante,,,,,,e das cores das viceras,......tanto sentido em tudo isso, a frieza na morte alheia...me doi, o alimento preciso que roi.....alma..e alimenta, corpo



abraço

A estranha disse...

Forcei-me a ver até ao fim e tenho pena de não ter entendido o poema, não consegui ouvir bem e não sei o que significa a palavra "taturanas" pelo que te pedia que ma explicásses...

No entanto, o video percebe-se bastante bem... "Homo Homini Lupus"...

Beijos e parabéns pela coragem!

Sérgio Luyz Rocha disse...

...se somos capazes de arrastar crianças pelas ruas, por que não seríamos capazes de impingir tanto sofrimento a um animal"? O que sentimos pelo bicho é justo na medida em que eles são incapazes de fazer o mesmo...

meu velho, teu vídeo foi muito bem editado e, particularmente, gostei muito da música (com evidentes toques de Piazzola)...

Forte abraço!!!

Personagem Principal disse...

Aiiiiiiiiiiiiiiii, coitado do porcoooooooooooooooo!

FINA FLOR disse...

não consegui abrir, snif, passo mais tarde de novo

beijos, dear e bom começo de ano

MM.

ronaldo braga disse...

interessante. a camara é a poesia.

Fabrício Brandão disse...

Meu caro Nelson,

Apreciei as intensidades de teu vídeo. Uma certa aura naturalista parece se fundir à nossa densa questão existencial. Um mar de sangue contempla as visões de nossas misérias.

Gostei muito da fotografia e da trilha.

Parabéns!

cocaine jesus disse...

Nelson,

Envie-me o seu e-mail. Meu e-mail é
utilityfishshed@hotmail.co.uk

you = discharge 4

cj

Renata Belmonte disse...

Nelson,

Seu vídeo é irreverente, inquieto. Admiro artistas como você: que conseguem transformar o grito em estética imprimindo um novo olhar sobre o mundo.Parabéns pela coragem de ousar, poucos têm isso.
Abraços,
Renata

cesar pinto disse...

Perfeito! a musica é métrimecanicamente perfeita!!
abraços!

Álvaro Andrade disse...

o que mais me chamou a atenção é como casa com seus poemas - cores, imagens, música.
Vídeo arte é difícil de interpretar, semiótica muito forte e pessoal. Mas não vejo pena do porco, talvez porque eu não a tenha - mesmo que seja agoniante vê-lo agonizar. Me parece que vc está sempre nos alertando que somos animais e que a vida é uma selva. Acho que racionalizar isso te faz humano - seria a única forma pra gente; talvez alguma redenção, mas não creio que procure isso.

Abraço e boa sorte com os vídeos.

SAMANTHA ABREU disse...

Nelson!
tuas produções estão um sucesso só.


voltei pra ver.
ps: Amanhã tem Falópio, apareça!

Ruela disse...

um convite para o Discharge 4Nelson, Parabéns...o Cocaine jesus gostou bastante do seu trabalho.
um abraço.

Cris disse...

Não sei se sinto mais orgulho do meu ex-professor ou do meu amigo que tem essa cabeça brilhantemente pensante!!!! Parabéns amigo! Muito forte! Incomoda pra caramba e nos faz refletir a realidade urbana contemporânea! Vc acha q atingiu seu objetivo? Eu tenho certeza!!! É filosofia pura! Se jogue meu caro, está no caminho certo! Parabéns! Amo vc! Bjssss, saudades.