Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

sexta-feira, agosto 10, 2007

14 de agosto às 19 h
Palacete das Artes - Museu Rodin da Bahia



Arte e Mundo Contemporâneo
(Rio de Janeiro)
Curso com Fernando Cocchiarale
Duração: 14 aulas
A arte contemporânea não pode ser pensada, estudada e compreendida da mesma maneira do que a arte moderna. Se o modernismo circunscreveu a discussão da arte no campo especializado da forma, da cor e do espaço, a contemporaneidade suscita, inversamente, a recondução da questão da arte à outras esferas não artísticas como a política, o corpo, a sexualidade, a filosofia, a ética e demais interfaces estabelecidas pela produção cultural de nossos dias.
O curso pretende pois apresentar alguns temas e questões ligados não somente à esfera da produção artística, mas à vida contemporânea num sentido amplo e abrangente, única maneira de compreendermos o sentido e os caminhos que a arte hoje anuncia. Por meio da leitura de textos de autores seminais do pensamento filosófico e da teoria da arte das últimas décadas poderemos subsidiar a compreensão de conceitos tais como o de modernismo e pós-modernismo, de multiculturalismo e até mesmo daquilo que alguns autores chamaram de fim da arte.

Informações Gerais:
Período: De 3/09 a 3/12 de 2007
Dia e horário: 2ª feira – Das 17h às 19h
Valor: 3 parcelas de R$ 160,00
Desconto de 20% para alunos e funcionários da Estácio
Local: Casa das Artes da Universidade Estácio de Sá
Av Vitor Konder, 124- Barrinha – Barra da Tijuca
Tel para informações – 2495- 0552 ou 2495-5994
período 3 de setembro a 3 de dezembro de 2007
Inscrições on-line http://www.estacio.%20br/extensao
ou em qualquer campus da Universidade Estácio de Sá

Fábio Carvalho
CUBO BRANCO ação em arte © 2002/2006

Nenhum comentário: