Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

segunda-feira, agosto 20, 2007



MAM reabre com exposição "Smetak Imprevisto"
Data: 17/08/2007
Fonte: Ipac - ascom@ipac.ba.gov.br
O Museu de Arte Moderna (MAM) instalado no conjunto arquitetônico do Solar do Unhão às margens da Baía de Todos os Santos, em Salvador, um dos dez museus estaduais do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), reabre as portas nesta segunda-feira, dia 20 de agosto, com a exposição “Smetak Imprevisto”, após um mês parcialmente fechado para reformas.
De acordo com o diretor geral do Ipac, arquiteto Frederico Mendonça, foram realizados no MAM serviços de pintura em paredes internas e externas, retelhamento de cômodos que apresentavam goteiras, impermeabilização e tratamento de infiltrações nas edificações. Na capela do século XVII foram restauradas janelas, portas, recuperado o reboco de paredes e aberta passagens da nave para a antiga sacristia. “Também substituímos o portão de acesso ao museu e, na área externa, realizamos podas nas árvores e checagem dos pontos de iluminação”, diz Mendonça. Já o Parque das Esculturas, localizado ao lado do museu, o diretor do IPAC explica que receberá intervenções específicas até o final do ano (2007) em função da dimensão das obras que já estão em fase final de processo de licitação pública.
Exposição
A exposição escolhida para a reabertura do MAM foi a “Smetak Imprevisto” que reúne cerca de 100 instrumentos musicais de autoria do músico Walter Smetak e fica em cartaz até 30 de setembro, aberta à visitação com entrada franca, de terça a domingo, sempre das 13h às 19h. O projeto foi selecionado pelo Edital 2006 do Natura Musical, que já contemplou 85 projetos desde 2005. “A exposição está montada em formato multimídia e interativo abordando vida e obra do músico, escultor, pesquisador, poeta e escritor Anton Walter Smetak”, informa Solange Farkas, atual diretora do MAM.
Essa homenagem se dá 23 anos após a morte e 50 anos depois da chegada do músico a Bahia, local onde desenvolveu uma teoria estático-musical própria. Nascido tchecoslovaco, nacionalizado suíço e radicado no Brasil, Smetak foi um alquimista dos sons, utilizando até utensílios do cotidiano para produzir música. “Smetak é uma referência para a música contemporânea brasileira, foi um artista e pesquisador que despertou a criatividade e criou novos conceitos para diversas gerações de músicos brasileiros”, ressalta Farkas.
O projeto da exposição contempla ainda a restauração, catalogação e digitalização do acervo material e imaterial do artista, composto por registros sonoros, livros, fotos e documentos, além da criação do site http://www.smetakimprevisto.com.br/ que entra no ar dia 20 e onde estão todas as informações. Nos dias subseqüentes à exposição (20.08) acontecem palestras com restauradores, curadores e pesquisadores dos trabalhos de Smetak. A exposição tem curadoria de Arto Lindsay e Jasmin Pinho, produção-executiva de Minom Pinho da produtora Casa Redonda de São Paulo, e projeto educativo da educadora musical Teca Alencar de Brito. O patrocínio é da Natura, com apoio institucional da secretaria de Cultura da Bahia (SECULT), através do IPAC e da Universidade Federal da Bahia, e apoio cultural do Ministério da Cultura.
Serviço
Exposição “Smetak Imprevisto” Local: MAM
Endereço: Avenida Contorno, s/nº - Solar do Unhão - Salvador, Bahia.
Informações: (71) 3117-6065 Datas: 21 de agosto a 30 de setembro
Dias e horários: de terça a domingo, das 13h às 19h, com entrada Franca
Realização: Casa Redonda Produções
Apoio institucional: UFBA (Universidade Federal da Bahia), SECULT,MAM, IPAC
Patrocínio: Natura

3 comentários:

cõllybry disse...

Deve ser muito interessante, iria...

Doce beijio

Nelson Magalhães Filho disse...

Valeu Collybry, volte sempre.

Anônimo disse...

fui tomada por uma emoção indefinível,ao contemplar as plásticas sonoras do Smetak,fiquei sem fala...pois a um ano atrás,eu tive a ousadia de tentar pintar uma música,não me atreveria mostra-la,mas só o fato de merecer essa idéia,minha alma alegra-se!