Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos

do mundo."
( Fernando Pessoa: Tabacaria)




Realizar trabalhos de arte a base das experiências existenciais, como transpor as imensidões dolorosas das noites urinadas. Fingir figuras concebidas do desejo e da amargura. Instigações obscurecidas pela lua. Não acretido na pintura agradável. Há algum tempo meu trabalho é como um lugar em que não se pode viver. Uma pintura inóspita e ao mesmo tempo infectada de frinchas para deixar passar as forças e os ratos. Cada vez mais ermo, vou minando a mesma terra carregada de rastros e indícios ásperos dentro de mim, para que as imagens sejam vislumbradas não apenas como um invólucro remoto de tristezas, mas também como excrementos de nosso tempo. Voltar a ser criança ou para um hospital psiquiátrico, tanto faz se meu estômago dói. Ainda não matem os porcos. A pintura precisa estar escarpada no ponto mais afastado desse curral sinistro.
Nelson Magalhães Filho

quinta-feira, setembro 20, 2007

Nelson Magalhães Filho. Série ANJOS BALDIOS, 2006, mista s/ papel craft, 120X105 cm

agora desentregar-me-ia
sufocantemente às damas
das ruas fedidas-devorado
e adoecido pelas velhas luzes
que vão e que voltam, porque-vesânico:
prostituindo-me pouco a pouco
errando-me nas coxas de begônia
jorrando-me nas mães estreitas
esmago
momentaneamante esse desvario.
contra os postes e os automóveis
cintilantes por causa da lua
de monstros-latiam
porque sitar remosa:
alisas meus cabelos
ranges meus ossos
desmelancolizados
através das doutrinas secretas
de tua agudez
pré-histórica.

Nelson Magalhães Filho

8 comentários:

Luíza disse...

Parabens pelo teu bolg. Gostei.
Volte sempre la no meu.
Beijoss

Ruela disse...

Espectacular!
Muito expressivo.

Barão Van Blogh disse...

Vem , vem voar nas asas de fogo ...


"Asas de fogo rasgam em voo picado
As partículas de água em suspensão"

Boa semana , que se apróxima do fim .

carla granja disse...

olá! há muito k nao te visitava pois tmb tive de ferias:) é sempre belo o k escreves parabéns. se kiseres vem até meu blog receber um abraço:)
bjo
crla granja

Ana M disse...

olha o que eu achei:

crucial viagem de onibus
o gesto
enlouquecido do mago

ser excesso,
voltejar-bizarro

as aves sem nome
nas ervas

vaguear só
sem pétalas

sua presença fugaz, e
deslizo nas almas

dos passageiros
como um feiticeiro.

muito bom. me encantou. vou pendurar na parede de casa.
bisou.

Ana M disse...

olha o que eu achei:

crucial viagem de onibus
o gesto
enlouquecido do mago

ser excesso,
voltejar-bizarro

as aves sem nome
nas ervas

vaguear só
sem pétalas

sua presença fugaz, e
deslizo nas almas

dos passageiros
como um feiticeiro.

muito bom. me encantou. vou pendurar na parede de casa.
bisou.

Nelson Magalhães Filho disse...

Luíza, Ruela,Ana M, Barão van Blogh, Carla: voltem mais vezes.

fale com ela disse...

Muito agrada a quem vos escreve. Tem cheiro forte. È assim que parece.